‘Seria leviano da minha parte dizer que influenciou’, diz Mozart sobre Weverton


O zagueiro Weverton, 18 anos, 12 jogos no profissional do Cruzeiro, foi “eleito” por parte da torcida nas redes sociais e por alguns setores da imprensa esportiva, o responsável pela derrota da Raposa para o Operário-PR, por 2 a 1, na noite deste sábado (19). Até aos 28 minutos do primeiro tempo, as equipes se digladiavam pelo encharcado meio-campo do Germano Krüger, sem oportunidades efetivas de gol, com ínfimos riscos ofensivos de ambas as partes.

Quando o meia estrelado Giovanni tentou armar um contragolpe e errou o passe, a bola resvalou no adversário e ficou dividida entre Weverton e Leandro Vilela. O defensor estrelado deu um carrinho imprudente, acertou o adversário e levou o vermelho direto. Logo após, o time paranaense abriu o marcador, numa linda bicicleta de Paulo Sérgio.

Questionado sobre a responsabilidade de Weverton na derrota, o técnico Mozart Santos não tergiversou “O Weverton é um jogador que é prata da casa, tem apenas 18 anos e tem muito a evoluir. Seria muito leviano da minha parte chegar aqui e dizer que influenciou diretamente no resultado. A responsabilidade da derrota é sempre minha e eu assumo sem problema algum. Foi um jogo atípico. Infelizmente, esses episódios acontecem”, analisou o treinador.

Em contrapartida, Mozart ressaltou reforçar a necessidade de se competir em condição de igualdade, neste caso, sem perder jogador por expulsão.

“Sempre friso no início das minhas palestras a questão de iniciar com 11 e terminar com 11. Hoje foi campo molhado, choveu muito aqui nos últimos dois dias. Essas jogadas mais duras, infelizmente, são inevitáveis. Mas, precisamos melhorar, ter um controle melhor. Justamente pela sequência de jogos, ter um jogador a menos, acaba prejudicando muito”, ponderou.

Fonte do link