Venda atacadista para o Dia das Mães despenca na 25 de Março

Depois das restrições da pandemia, agora os lojistas da região da 25 de Março, no centro de São Paulo, sentem os reflexos da inflação e da queda na renda dos brasileiros, principalmente na venda em grande quantidade, feita no atacado.

O movimento para o Dia das Mães, que costuma aumentar na metade de abril, ainda está fraco, segundo Claudia Urias, diretora-executiva da Univinco (União dos Lojistas da Rua 25 de Março e Adjacências).

“No fim do ano, a gente sentiu que, pelo menos, as restrições iriam melhorar, mas veio a instabilidade econômica. Tem muita gente sem dinheiro e está tudo muito caro. Hoje, as pessoas pensam em colocar comida na mesa em vez de comprar alguma outra coisa”, diz Urias.
Leia mais (05/03/2022 – 12h21)

Fonte do link

Compartilhe:

Comentários