Um em cada cinco jogadores brasileiros na elite europeia sofreu racismo em rede social



Figuras de macaco. Rostos de gorila. Bananas. Ofensas à cor de pele da mãe. “Preto”. “Neguinho”. Zombaria por causa do cabelo. “Mono [macaco em espanhol] de merda”.
Leia mais (05/01/2021 – 23h15)

Fonte do link