Sugiro rebatizar a nova variante do coronavírus



Entendo que a cobertura vacinal funciona como se cada cidadão contribuísse com uma telha para cobrir uma casa castigada por um temporal. Pouco importa se sua telha é rosa ou transparente, desde que ela cumpra sua parte nessa proteção. Lembrando que é necessário dar abrigo àqueles que por razões lícitas (crianças, imunodeprimidos) não podem contribuir com a sua cobertura individual. A analogia me ocorreu na época dos sommeliers de vacina que colocam suas prioridades imaginárias acima de uma causa maior, que, ironicamente, também os prejudica, uma vez que a coisa toda só funciona no atacado, não no varejo.
Leia mais (11/29/2021 – 17h40)

Fonte do link

Compartilhe:

Comentários