Startup quer convencer empresas a pagar dívidas de consumidores

0
35
Startup quer convencer empresas a pagar dívidas de consumidores
3 (60%) 1 vote


Uma startup lançada neste mês quer convencer grandes empresas a pagar dívidas de consumidores no lugar deles.

Para isso, a Devo Não Nego tem um site no qual consumidores podem anunciar duas dívidas, para quem e qual o motivo de estarem na situação. Não é preciso informar o nome verdadeiro no publicamente.
São aceitas apenas dívidas junto a instituições financeiras e que possam ser comprovadas—não adianta dizer que tem uma dívida de boca com um parente ou vizinho.

Junior Euclides, 33, sócio da empresa, diz que todas as dívidas cadastradas serão avaliadas em 24 horas antes de serem incluídas no site para comprovar a veracidade das informações.

O plano de Euclides é que o resgate aos consumidores no vermelho seja uma forma das companhias fazerem marketing com ações positivas.

Ele explica que o portal terá patrocinadores que, para terem as marcas expostas ali, terão de se comprometer a gastar mensalmente determinado valor saldando dívidas de consumidores.

As empresas mais atuantes também poderão receber um selo de empresa parceira para usarem junto de suas marcas, diz.

O dinheiro nunca irá diretamente ao consumidor. O pagamento sempre será feito entre empresa que compra a dívida e o credor.

 

 

Junior Euclides, sócio da Devo Não Nego (arquivo pessoal)

 

Segundo Euclides, a ideia é que o site ajude a movimentar a economia, que hoje tem entre as barreiras para seu crescimento  um alto volume de negativados.

A inspiração para o negócio veio de sites de classificados online. “Muitas pessoas usam sites para vender seus bens quando estão em difficuldade. Pensei, por que não fazer o contrário, vender a dívida em vez de vender o carro ou a televisão?”

Ele diz acreditar que a maioria dos devedores não estão inadimplentes de propósito. O grupo é formado, principalmente, por pessoas que tiveram dificuldades no emprego, um problema de saúde na família ou imprevistos do gênero.

Será preciso que muitas contas sejam pagas para o negócio decolar. Junior espera cobrar R$ 1,99 para cada dívida anunciada no site —o que exigirá milhares de cadastros para sustentar a empresa, que espera ter apenas esta fonte de receita.

Para atrair visitantes para o portal O devo Não Nego trará conteúdo sobre educação financeira.

Fonte do link

COMPARTILHAR