Sócia de Miguel Corrêa diz que governador do Piauí contratou empresa investigada na eleição



Lídia Corrêa Alves de Martins, sócia e sobrinha do deputado Miguel Corrêa (PT-MG), afirmou em depoimento ao Ministério Público de Minas Gerais que o governador do Piauí, Wellington Dias (PT), contratou sua empresa, a Fórmula, durante a campanha eleitoral por R$ 150 mil. 

Neste ano, Dias foi reeleito em primeiro turno, com 55,65% dos votos válidos.

A Fórmula é investigada por contratar influenciadores digitais para que eles publicassem elogios a candidatos do PT em suas redes sociais. As publicações não informavam que eram pagas, nem exibiam qualquer informação sobre a empresa ou político que os contratou. A prática é proibida pela legislação eleitoral.

A investigação mostra indícios de que a prática foi usada na campanha de Dias, mas também dos petistas Luiz Marinho (SP), Gleisi Hoffmann (PR), Lindberg Farias (RJ) e Décio Lima (SC). 

Ação do Ministério Público proposta na semana passada acusa Corrêa e Lídia de abuso de poder econômico e pede a inelegibilidade do deputado, que concorreu ao cargo de senador, mas perdeu. A investigação foi compartilhada com os demais estados.
Leia mais (12/18/2018 – 16h01)

Fonte do link

Comentários no Facebook