Silêncio sobre Roberto Alvim reinou entre o pessoal do axé, do sertanejo e do pagode



Ontem foi comemorado, nos Estados Unidos, o dia de Martin Luther King. Um dos três feriados dedicados a personalidades, num país de poucos feriados, onde tempo é dinheiro.

Neste dia, instituições e pessoas são estimuladas a praticar ações humanitárias locais e voluntárias, em memória ao pastor batista e ativista de direitos civis assassinado em 1968.

No dia seguinte a sua morte, James Brown fez um show em Boston, aberto para o público, e não foi apenas seu melhor show, foi um marco histórico para ele, a comunidade negra e a sociedade. James Brown, no auge, se posicionou. Teve lado.

Aliás, é esse show dele que estou assistindo no Youtube pra escrever essa coluna.
Leia mais (01/21/2020 – 02h00)

Fonte do link