Serra do Curral II

O que a população alega está na ameaça ao meio ambiente, ao suprimento de água da região metropolitana, na devastação da vegetação de 42 hectares, na qualidade do ar e no comprometimento do perfil da serra do Curral, tido como identificação da imagem de BH. E isso constitui um patrimônio inegociável para as forças contrárias ao licenciamento. O que pode, nesta altura, comprometer a concessão é que o rito usado pela Tamisa e engolido pelo Conselho Estadual de Política Ambiental de (Copam) está no procedimento usado para fazer o processo andar e se inserir na fila de apreciação. O MPMG já está se movimentando no sentido de contestar a opção feita e que fez andar o licenciamento.

Fonte do link

Compartilhe:

Comentários