‘Sei quem estou indicando e trazendo’, diz Adilson sobre reforços do Cruzeiro


O técnico Adilson Batista comentou sobre as críticas que recebe de torcedores e analistas da imprensa relacionadas ao trabalho que vem executando, principalmente direcionadas aos reforços que o Cruzeiro adquiriu no mercado. Apesar de três jogos na temporada, há questionamentos sobre negociações. Um caso específico foi o volante Filipe Machado, contratado por empréstimo junto ao Grêmio na negociação que envolveu a ida de Orejuela ao Tricolor Gaúcho. Adilson citou a situação do atleta, recordando que a aquisição foi referendada por Roger Machado, técnico do Bahia e que esteve no Grêmio. 

Para salientar sua escolha, Adilson Batista recordou a chegada de Marquinhos Paraná à Toca da Raposa. 

“Eu já disse, é um grupo jovem, vai acontecer (de errar). Só que quem está no dia a dia, quem acompanha futebol, quem acompanha os atletas, quem tinha informações, sabe. O Roger Machado, por exemplo, me deu informações do Machado e muito boas. Quando trouxe o Marquinhos Paraná ele errou no primeiro lance, desmaiou aqui (na sala de coletivas da Toca da Raposa) e depois ficou cinco anos no clube. Eu sei quem eu estou indicando, eu sei quem eu estou trazendo porque a gente pergunta, a gente vai nos profissionais que trabalharam com essa pessoa. A gente quer o melhor para o clube. Às vezes vai jogar mal, faz parte também”, explanou o treinador. 

Algumas das críticas a Adilson Batista aconteceram durante o primeiro tempo da partida contra o Tupynambás, quando o Cruzeiro saiu atrás no marcador por 2 a 0. A Raposa conseguiu a reação na etapa final e acabou vencendo o compromisso por 4 a 2.

“Respeito, sempre respeitei, faz parte do nosso trabalho, do dia a dia, a gente escutar elogios, críticas. As construtivas eu aceito. O que eu vi no último jogo é que foi uma partida de um time só, em que o Cruzeiro teve mais volume, mais posse, trabalhou, teve infiltrações, penetrações, teve momentos para fazer uma escolha mais adequada e não fez. Teve a mesma organização e manteve a mesma postura no segundo tempo. Então eu vi um time equilibrado, organizado, um time que arriscou, que teve personalidade, que insistiu, um time que foi objetivo, persistente e que conseguiu o resultado dentro daquilo que nós pedimos. Essa é a minha avaliação do jogo. Errar, eles vão errar. O Machado foi dominar uma bola e ela passou debaixo do pé dele. Nós tivemos um erro de posicionamento, nós tivemos um erro na primeira bola que poderíamos ter antecipado, mas faz parte”, ponderou Adilson. 

Líder do Campeonato Mineiro com um jogo a menos, o Cruzeiro volta a campo neste domingo, quando faz o clássico contra o América, às 16h, no Mineirão. Será o primeiro teste da Raposa reformulada contra um time que vai encarar na Série B do Brasileiro deste ano.

Fonte do link