Regionais da PBH começam a receber garrafas da cerveja Belorizontina


A Secretaria Municipal de Saúde começou nesta segunda-feira (13) a receber cervejas da marca Belorizontina, de qualquer lote, de moradores de Belo Horizonte que adquiriram o produto para consumo próprio. Não serão recebidos produtos de bares, restaurantes e supermercados. 

Nas linhas de produção  L1 e L2 do lote 1348  foi identificada a substância Dietilenoglicol, que pode ser a causa do adoecimento de pelo menos dez pessoas em Minas. Uma pessoa morreu. Nesta segunda-feira, a Polícia Civil concederá entrevista coletiva sobre as investigações do caso e divulgará os resultados das análises realizadas em amostras da cerveja. 

De acordo com a diretora da vigilância sanitária de Belo Horizonte, Zilmara Ribeiro, a população entrou em contato com a vigilância sanitária para saber o que fazer com cerveja que havia comprado e a orientação é de não descartar em lixo comum. 

O recolhimento feito pela prefeitura também vai contribuir com as investigações, segundo ela. Não haverá  ressarcimento do dinheiro da compra da cerveja nas regionais. “O material ficará sob custódia da Secretaria Municipal de Saúde para encaminhamento das investigações necessárias”, informou Zilmara.

A entrega pode ser feita de segunda a sexta, das 8h às 17h, nas nove regionais de Belo Horizonte.

Na regional Leste, que fica na rua Salinas, no bairro Santa Tereza, os funcionários foram orientados agora a receber as garrafas.

O coordenador de administração da Regional Leste, José Henrique de Oliveira Neto, comentou que há pessoas fazendo piadas com coisa séria. Segundo ele, fake news estão circulando pelo WhatsApp em que pessoas afirmam que a mesma substância tóxica foi detectada em outra marca de cerveja, orientando que quem tiver a cerveja em casa deve juntá-la para ser recolhida no endereço.

Garrafas vão ajudar na investigação

O aposentado Júlio de Assis Sobreiro,  de 56 anos, foi a primeira pessoa a devolver garrafas da cerveja Belorizontina na regional Oeste da Prefeitura de Belo Horizonte.

Ele conta que comprou 15 garrafas da cerveja, em dois estabelecimentos diferentes. Felizmente, ninguém da família dele passou mal. “Estou aliviado”, comentou.

As duas cervejas que sobraram, Sobreiro entregou à Vigilância Sanitária para contribuir com as investigações.

Veja os endereços das regionais:

Barreiro: Avenida Olinto Meireles, 327 – Barreiro

Centro-Sul: Avenida Augusto de Lima, 30, 14ª andar – Centro

Leste: Rua Salinas, 1.447 – Santa Tereza

Nordeste: Rua Queluzita, 45 – Bairro São Paulo

Noroeste: Rua Peçanha, 144, 5º andar – Carlos Prates

Norte: Rua Pastor Murilo Cassete, 85 – São Bernardo

Oeste: Avenida Silva Lobo, 1.280, 5º andar – Nova Granada

Pampulha: Avenida Antônio Carlos, 7.596 – São Luiz

Venda Nova: Avenida Vilarinho, 1.300, 2º Piso – Parque São Pedro

Fonte do link