Racismo estrutural dá as caras no É de Casa, provocando uma discussão mais que necessária



Ele está no meio de nós. Como uma versão maligna da Força dos filmes da franquia “Star Wars”, o racismo estrutural permeia toda a sociedade brasileira. Invisível para muita gente, de vez em quando ele se manifesta de maneira inequívoca, calando a boca dos críticos que ainda duvidam de sua existência.

Foi o que aconteceu no sábado passado (11), durante o programa É de Casa, da Globo. A apresentadora Talitha Morete pediu à convidada Silene, uma cozinheira que foi ensinar os segredos de sua cocada cremosa, servisse o doce a todos os presentes no estúdio.

“A dona da cocada vai fazer as honras da casa, vai servir todo mundo”, disse Talitha, entregando uma bandeja a Silene, que estava sentada. Todos riram e aplaudiram, até que o apresentador Manoel Soares ?que é negro, assim como a convidada? se levantou. “Vamos fazer o seguinte?”, perguntou ele à cozinheira. “Eu vou ser o seu garçom e você vai me orientar para quem eu vou servir, porque você não vai servir ninguém”.
Leia mais (06/15/2022 – 13h00)

Fonte do link

Compartilhe:

Comentários