Projeto de fotos faz uruguaios abraçarem desaparecidos da ditadura



Enquanto esperava em frente a um fundo para ser fotografada, a advogada Mariana Mota, 55, ouviu uma gravação contando quem tinha sido a uruguaia Beatriz Hernández Hobbas. Nos braços, segurava uma imagem da jovem, desaparecida na Argentina em 1977.

O processo faz parte do projeto Imagens do Silêncio, criado em 2014 para marcar os 20 anos da Marcha do Silêncio no ano seguinte. Na época, o trabalho consistia na recompilação e edição de fotos dos atos desde a primeira edição, em 1996.
Leia mais (05/20/2020 – 20h30)

Fonte do link

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

8 + dezessete =