Prevista para antes da Copa de 2014, parte das obras da Via 710 chegam ao fim


Após longos cinco anos e cinco meses de obras, parte da Via 710, no trecho que liga as avenidas Cristiano Machado e José Cândido da Silveira, foi liberada nesta quarta-feira (5). Toda a construção estava prevista para ser finalizada antes da Copa do Mundo de 2014, mas, segundo a Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), ela teve que ser adiada devido a questões pendentes.

De acordo com a Secretaria Municipal de Obras, nesse trecho onde o trânsito ficou livre, ainda há reparos a serem concluídos. “A previsão de conclusão de obras no trecho entre as avenidas José Cândido e Cristiano Machado (incluindo o trecho dos Empreendedores é para junho de 2020). Já o trecho entre a avenida José Cândido da Silveira e avenida dos Andradas está previsto para o final de 2020, mas vai depender do andamento das desapropriações/remoções”, informou.

A BHTrans afirmou que a pista liberada está sinalizada, com travessias semaforizadas e equipamento de controle de velocidade, com regulamentação de 60km/h. 

Os trabalhos foram iniciados em setembro de 2014. Ele saiu do plano de matriz da Copa do Mundo porque na época foi necessário concluir desapropriações pendentes, resolver questões de interferências com as concessionárias e fazer as adequações necessárias aos projetos.

De acordo com a pasta, das 229 desapropriações previstas pela Superintendência de Desenvolvimento da Capital (Sudecap), 221 imóveis já estão liberados, e o restante encontra-se em processo judicial. 

Já as remoções são definidas e conduzidas pela Companhia Urbanizadora de Belo Horizonte (Urbel), sendo que a Sudecap atua apenas no acompanhamento dos casos judicializados. Sobre essa remoções, das 94 previstas, 31 encontram-se em processo judicial, 32 já estão liberados e 31 foram canceladas (na Vila Arthur de Sá).

A Via 710

No total, a A Via 710 terá aproximadamente 5 km de extensão, e irá promover o acesso entre as regiões Leste e Nordeste de Belo Horizonte, mais precisamente entre as avenidas dos Andradas e Cristiano Machado.



Fonte do link