Previsões para 2020, o ano em que a cultura será cancelada



Este é o nono ano consecutivo em que a minha coluna de Réveillon traz previsões jocosas para o showbiz brasileiro nos próximos 12 meses. Mas não existe país com showbiz que não tenha também uma cultura vibrante por trás. Será que o Brasil ainda terá cultura em 2020?

O primeiro meteoro cairá logo em fevereiro, com o cancelamento do carnaval carioca. Assustado com a quantidade de sambas-enredo com letras críticas ao governo, o prefeito Marcelo Crivella inventará uma rachadura em uma das arquibancadas do Sambódromo e interditará a Marquês de Sapucaí por questões de segurança. Os blocos e bailes também serão proibidos, por causa do risco de golden shower. Quem quiser, que pule em casa.

Em março, na iminência de deixar o cargo, o ministro da Educação Abraham Weintraub abolirá todas as regras gramaticais. Liberou geral na ortografia, na pontuação e na sintaxe. Agora cada um escreve como quiser! A medida cessará de imediato as críticas ao ministro, famoso por grafar “paralisação” e “insitar”. Tomaram, papudos? Ele não está mais errado!

Mas a alegre balbúrdia de Weintraub durará pouco. Ele será substituído por um megaultraliberal que privatizará todo o sistema educacional brasileiro, do maternal ao doutorado. Até a merenda escolar passará a ser cobrada dos alunos, e em dólar.
Leia mais (12/31/2019 – 11h30)

Fonte do link