Posicionamento de Tardelli é peça-chave no esquema tático de Sampaoli no Galo


Um novo estilo do Atlético em campo será conhecido amanhã, em Nova Lima, onde o time enfrenta o Villa Nova, no Campeonato Mineiro, pela primeira vez sob o comando do argentino Jorge Sampaoli. Uma curiosidade está na forma que o treinador vai desenhar o ataque alvinegro com a presença de Diego Tardelli. Contratado antes do técnico, o atacante ídolo do clube tem facilidade de se adaptar a diferentes funções ofensivas.

Em sua apresentação, Tardelli disse que gosta de “flutuar”, algo que já se viu nos poucos minutos em que ele esteve em campo no clássico do último sábado, contra o Cruzeiro. O jogador também não vê problema de voltar para ajudar na marcação, algo que Sampaoli preza em seu estilo ofensivo de montar equipes.

No duelo contra o rival, Tardelli entrou no jogo aos 24 minutos do segundo tempo, no lugar do centroavante Ricardo Oliveira. Seja no lugar do Pastor ou do argentino Di Santo, Tardelli funcionaria como o homem de referência, se assim Sampaoli quiser. Os treinamentos do novo treinador na Cidade do Galo vêm sendo fechados à imprensa, por isso, ainda não há pistas de como o time deve jogar.

Na última quarta-feira, Ricardo Oliveira comentou que não vê Tardelli como um concorrente. “Temos características diferentes. O Diego (Tardelli) é um segundo atacante, que chega muito bem por trás. É difícil ver um jogador que chega tão bem quanto ele. Da última vez (que ele jogou no Atlético, em 2013 e 2014), o Jô era a referência, tinha o Ronaldinho também, e ele chegava muito bem e marcava muitos gols. Estamos nos fortalecendo com a chegada dele, ele está adquirindo sua melhor forma física e vai nos ajudar muito, com certeza”, destacou o centroavante.

No Santos de Sampaoli, no ano passado, Eduardo Sasha foi quem exerceu a função de centroavante, mas num papel de camisa 9 “mais móvel”, aparecendo na área e recuando para ajudar na criação de jogadas. Independentemente das peças que escolher, Sampaoli deixou claro que quer ver um Galo que propõe o jogo. “O Atlético, por minha característica, terá um jogo de ataque, onde tentará protagonizar a todo tempo, contra qualquer time, em qualquer campo. Sem nenhum tipo de temor ou resguardo”, avisou o técnico, em sua apresentação, na segunda-feira

Fonte do link