Polícia confirma segunda morte por síndrome nefroneural em Minas


A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) confirmou, na manhã desta quarta-feira (15), a morte de mais um paciente internado com sintomas da síndrome nefroneural. O corpo dele, que estava hospitalizado no CTI do Mater Dei, em Belo Horizonte, será encaminhado nas próximas horas ao Instituto Médico Legal (IML), onde passará por exames e procedimentos de perícia.

Questionada a respeito da identidade dessa – que é, confirmada, a segunda vítima fatal da doença – a Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) alegou que ainda não foi notificada e informações referentes a isso serão publicadas nas próximas horas. O último boletim divulgado pelo órgão, na tarde dessa terça-feira (14), descrevia 17 pacientes internados com a doença em todo o estado. Agora, com a confirmação do óbito, o número deverá cair, caso não sejam notificados novos casos. 

Morte suspeita

Além das duas mortes confirmadas, há um terceiro possível óbito ligado à doença. Ainda nessa terça-feira, a prefeitura de Pompéu, na região Central de Minas Gerais, emitiu uma nota a respeito da suspeita de que uma moradora do município, de 60 anos, teria morrido no último 28 de dezembro com sintomas da síndrome. De acordo com a Polícia Civil, este caso ainda não chegou para ser investigado por eles. 

Uma força-tarefa composta por órgãos de justiça e saúde investiga se a doença nefroneural que surgiu no mês passado e afetou, pelo menos, 17 pessoas, está realmente associada a o consumo da cerveja Belorizontina. A bebida, produzida pela cervejaria Backer, teria chegado aos consumidores já contaminada com duas substâncias tóxicas, o dietilenoglicol e o monoetilenoglicol. Após a ingestão, os clientes da marca teriam apresentado quadro de insuficiência renal grave e alterações neurológicas – entre elas cegueira parcial ou, até mesmo, completa. 

 

Esta matéria está em atualização. 

Fonte do link

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

dois × 1 =