Pioneirismo e solidão marcam ascensão de empresários negros

Ser um empresário negro no Brasil é ter de aprender a conviver com o fato de ser um dos únicos -quando não, o único mesmo- com a cor da sua pele entre homens e mulheres que estão no mesmo status corporativo. Essa percepção foi repetida por todos os empresários desta reportagem.

É também ter de se preocupar com pequenas coisas do dia a dia que nem passam pela cabeça das pessoas brancas. Um gerente de banco negro, por exemplo, tem que tomar o cuidado de não usar terno preto com camisa branca para não ser confundido com o segurança da instituição financeira.
Parece exagero? Pois esse exemplo é real.

“Quando eu trabalhava no HSBC, sempre fui um dos melhores, com os melhores resultados. Mas não podia usar qualquer roupa. Sempre privilegiei camisas coloridas e gravatas diferentes para não ser confundido com o segurança”, diz Luciano Machado, cofundador da MMF Projetos, da área de projetos de engenharia de infraestrutura.
Leia mais (11/19/2020 – 23h15)

Fonte do link