No pós-Covid, é preciso aumentar a resiliência da população vulnerável

Embora o sistema de proteção social brasileiro contenha instrumentos com ampla cobertura para reduzir os riscos da pobreza, extrema pobreza, idade e invalidez, a proteção contra choques de renda do trabalho e dos negócios no Brasil permanece segmentada e depende da situação ocupacional e da composição familiar. Se o sistema funcionasse de maneira perfeita, estima-se que 90% das famílias brasileiras estariam cobertas por algum programa de proteção social. No entanto, o sistema tem falhas de implementação e é desbalanceado, favorecendo os trabalhadores formais.
Leia mais (11/15/2021 – 22h14)

Fonte do link

Compartilhe:

Comentários