Ninguém tem nada a ver com a separação do casal José Loreto e Débora Nascimento



Dois atores famosos se conheceram em um estúdio, na primeira vez em que trabalharam juntos. O romance que viviam na tela logo se transferiu para a vida real e, em pouco tempo, todo mundo ficou sabendo. Como ambos eram casados com terceiros, o escândalo foi imenso. Até o Vaticano os condenou.

Mesmo assim, Elizabeth Taylor e Richard Burton tiveram sorte. Ainda não existia a internet em 1962, quando os dois se apaixonaram no set de “Cleópatra”. Eles não precisaram lidar com uma avalanche de comentários pseudomoralistas, nem com fofoqueiros profissionais levantando teorias 24 horas por dia.

Não vou dar uma de hipócrita. Escrevo para o F5, um site de entretenimento, e é claro que a separação de dois nomes como Débora Nascimento e José Loreto seria notícia por aqui. Também é nossa obrigação cobrir a reação dos seguidores do casal, e de todos os supostos pivôs do divórcio.

Mas não deixo de me assustar com o furacão midiático que se formou em volta deles. Aliás, mídia nem é a palavra mais precisa. Veículos da imprensa tradicional estão no rolo, mas o tsunami para valer eclodiu nas redes sociais, com a participação ativa de famosos e anônimos.

Amigas célebres de Marina Ruy Barbosa, apontada como o novo affair de Loreto, deixaram de segui-la no Instagram. Foi a senha para que milhares de pessoas que não conhecem pessoalmente nenhum dos envolvidos se sentissem no direito de meter o bedelho, mandando mensagens ofensivas e cobrando atitudes de todos os lados.
Leia mais (02/21/2019 – 19h15)

Fonte do link

Comentários no Facebook