Mudança de local de posto de saúde revolta moradores na região da Pampulha


Moradores do Bairro Confisco, na região da Pampulha, protestam contra a mudança do posto de saúde do local. Construída em 1990, a Unidade Básica, segundo a comunidade, atende à população do conjunto, bem como dos bairros Urca, Paquetá, Itatiaia e Bandeirante. O centro teria passado por uma reforma dentro do Orçamento Participativo, aprovada em 2010 e concluída em 2015. Porém, a Comissão de Saúde, mesmo com participação popular, teria definido a necessidade de um novo prédio para abrigar o serviço. 

“Essa decisão não foi tomada pela Comissão de Saúde atual, mas não somos contrários à construção de um novo posto, pois o atual atende a comunidade de 5 bairros, é muita gente. Só não concordamos em levar o nosso centro, com o nome de Confisco, para o Bandeirantes e desativar o nosso. Tinham que manter o nosso como um anexo”, reivindica a líder comunitária Maria das Graças Ferreira, 54 anos, 28 deles vividos no conjunto. 

Divina Maria de Oliveira, 76, considera um absurdo a mudança. Ela e o marido, que caminha com auxílio de muleta, são usuários frequentes do centro de saúde. A dona de casa é mãe de Edna Maria de Oliveira, 47, portadora de epilepsia, e conta que a filha não fala, anda com muita dificuldade e o trajeto de quase três quilômetros até o novo centro de saúde será um verdadeiro calvário. “Não tem ônibus que me deixa lá, como eu vou levar minha filha para as consultas, com quem vou deixar eles para pegar os remédios, é uma falta de consideração com a gente”, reclama. 

Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde informa que está em construção uma nova sede para o Centro de Saúde Confisco, na Avenida Professor Clóvis Salgado, número 270, no Bairro Bandeirantes. O local foi aprovado como prioridade dentro do grupo de 40 novas sedes de unidades de saúde a ser concluída via Parceria Público Privada (PPP).  

Ainda conforme a pasta, o novo prédio é fundamental para que seja garantido conforto aos usuários e funcionários, identidade visual própria, tecnologias sustentáveis, revestimento de fácil higienização, acessos independentes, humanização dos ambientes, número suficiente de consultórios e salas que suportam o incremento de recursos humanos e população vinculada. 

De acordo com a Prefeitura de Belo Horizonte, o Centro de Saúde Confisco atende cerca de 12 mil pessoas. São ofertados todos os serviços previstos no Programa de Saúde da Família como consultas com médicos de Saúde da Família, ginecologista, pediatra e vacinação, farmácia. A PBH esclarece ainda que foram feitas reuniões para informar à população sobre a mudança de sede e os benefícios aos usuários.

Fonte do link