Minas cria novas restrições na 'Onda Vermelha' após piora nos indicadores


O Governo de Minas criou uma nova categorização na “Onda Vermelha” após piora nos indicadores da pandemia. De acordo com o Estado, a partir do próximo sábado (5), cinco das 11 microrregiões que já estavam na segunda fase mais rígida do programa Minas Consciente terão que restringir ainda mais as atividades comerciais.

No patamar mais severo, ficam proibidos eventos de atrativos culturais e naturais; academias, clubes e salões de beleza. Além disso, os bares e restaurantes poderão funcionar somente até as 19h. Depois deste horário, apenas no sistema de delivery, sem retirada em balcão.

As medidas deverão ser adotadas pelas macrorregiões Triângulo do Sul, Sul, Oeste, Leste do Sul e Centro Sul. As novas restrições impostas na “Onda Vermelha” ainda são mais brandas do que as aplicadas na “Onda Roxa”, a mais rígida que impõe, inclusive, o toque de recolher.

“Esta gradação dentro da onda vermelha é importante, pois estamos em um momento heterogêneo da pandemia no estado, com cenários diferentes, porém críticos. Dentro destas diferenças, ressaltamos a necessidade de medidas mais restritivas, ainda, para evitar o estresse do sistema de saúde”, explicou o secretário de Estado de Saúde, o médico Fábio Baccheretti. 

 

Cenários assistencial e epidemiológico desfavoráveis

O Estado explicou que a classificação de uma macrorregião nestes cenários é feita a partir de metodologia proposta pela Sala de Situação da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG). Serão analisados os dois indicadores: Incidência e Espera por atendimento, para identificar as tendências de piora na transmissão da doença e na ocupação de leitos e possíveis filas.

“A combinação dos indicadores Incidência e Espera por Atendimento resulta na classificação dos cenários, que podem variar: Epidemiológico Desfavorável, Assistencial Desfavorável ou Assistencial e Epidemiológico Desfavorável”, informou o governo.

Em todos eles, passam a vigorar medidas mais restritivas. O secretário de Saúde destacou que as medidas ainda mais restritivas na “Onda Vermelha” somam-se à abertura de leitos, transferência de pacientes e às forças-tarefas que têm percorrido Minas, com monitoramento e orientações técnicas aos gestores locais para enfrentamento à pandemia. 

Ondas

O Estado tem, atualmente, 11 macrorregiões na “Onda Vermelha” e três na “Amarela”, fase intermediária do Minas Consciente. Segundo dados desta quinta-feira, 250 pacientes suspeitos ou confirmados para Covid-19 aguardam por internação em leitos de UTI em Minas

Apesar do momento ser considerado crítico, o secretário acredita que a vacinação traz esperança. Os dados mostram que tanto os óbitos como os números de casos de internação por covid-19 vêm caindo entre a população idosa vacinada, dos 70 aos 90 anos ou mais



Fonte do link

Compartilhe:

Comentários