Mesmo com isolamento, Farmácia de Minas registra longa fila em BH


Dia após dia, o cenário na Farmácia de Minas permanece com longas filas para a retirada gratuita de medicamentos. A unidade, localizada na avenida do Contorno, região Centro-Sul de Belo Horizonte, amanheceu mais uma vez com um alto volume de pessoas, mesmo após o anúncio de medidas pela Secretaria de Estado de Saúde (SES).

A reportagem tem acompanhado com frequência a situação da Farmácia de Minas, e o panorama de filas extensas pouco muda. Um ponto positivo observado nesta manhã, porém, foi a redução no tempo de espera, indo de 3 ou 4 horas para 2 ou 1h30 na fila. Caso de Nora Perácio, de 62 anos, que chegou 5h15, sendo atendida por volta de 7h20. Ela retira o medicamento olanzapina para o filho. 

“Hoje cheguei cedo porque tinha ouvido falar que estava cheio. Pego para o meu filho, que tem necessidade especial. Estava preocupada pra saber como seria hoje. Lá dentro está organizado. Tinha o agendamento para 7h30, um rapaz conferiu meu agendamento e uma moça veio em seguida entregando a ficha”, conta Nora, que é aposentada.

José Eustáquio Ferreira, de 66 anos, busca três medicamentos para uso próprio: lanreotida, cabergolina e atorvastatina, este sem encontrar na Farmácia de Minas pela segunda vez. Ele trata de problemas na tireóide, de pressão e no coração e teve reduzido quase pela metade o tempo de espera em relação à busca no mês passado.

“Demorei menos hoje que da última vez. Eu me preocupei pra vir hoje, ainda mais com essa crise. Saí de casa 4h45 e cheguei aqui quase 6h. Da última vez, esperei 3h para ser atendido”, conta José, atendido por volta de 7h30 na manhã desta segunda. Aposentado, mora no bairro Eldorado, em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte. 

O tempo de espera foi reduzido, mas a fila segue grande. Ao longo de sua extensão, alguns pontos registram distanciamento entre as pessoas, outros não. A SES chegou a anunciar algumas medidas para conter as aglomerações. A reportagem entrou em contato com a Secretaria nesta manhã para saber a eficácia dessas medidas e se outras têm sido pensadas, e ainda aguarda retorno. 

Medidas anunciadas

Desde a última segunda (20), a SES tem feito a entrega de medicamentos em casa para potenciais pacientes portadores de Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) e asma residentes na capital. A medida estipulou beneficiar 1.682 pessoas em um primeiro momento e também vinha sendo adotada na cidade de Juiz de Fora, na Zona da Mata.

Antes disso, a SES chegou a anunciar a parceria com clínicas de Terapia Renal Substitutiva do SUS com o intuito de que alguns pacientes buscassem seus medicamentos diretamente nesses centros, onde já realizam suas sessões de hemodiálise. A ideia foi fazer com que as pessoas não precisassem buscar a unidade da Farmácia de Minas, evitando filas e aglomerações.

A Secretaria também já havia alertado para a possibilidade dos usuários que fazem uso contínuo de determinado medicamento retirarem uma quantidade suficiente para dois ou três meses, o que evitaria o retorno rápido.

Fonte do link

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

dezessete − 4 =