Marfinense joga profissionalmente aos 13 anos; o mais precoce é boliviano



“O teeeeeeeeempo passa”, dizia o saudoso locutor Fiori Giglioti (1928-2006) em suas narrações na rádio Bandeirantes. Essa frase, que Fiori usava para dizer ao ouvinte que a partida ia decorrendo rapidamente, para otimismo do torcedor do time que vencia e desespero do que perdia, me veio à mente quando li a notícia de que um […]
Leia mais (10/14/2021 – 08h15)

Fonte do link

Compartilhe:

Comentários