Maior responsável por jogos ruins é a saída de craques para o exterior



A principal razão de a decisão do Paulista ter sido chata, insossa e com baixíssimo nível técnico foi o medo de perder. Não pense que a razão é a atual geração de jogadores não ter coragem para tentar uma jogada diferente. Isso se ouve desde que Leônidas da Silva era comentarista.

Enquanto 22 caranguejos davam passes para trás em Itaquera, Everton Cebolinha driblava, cruzava e festejava na Arena, em Porto Alegre. Fez de tudo no Gre-Nal. Só não se comportou como um robozinho. Então, não é a geração.

O fato de o Gre-Nal ter sido bem jogado, contraponto do dérbi do medo, também afasta qualquer chance de atribuir a ruindade de Itaquera à paralisação de 127 dias. Mesmo que isso também faça parte do cardápio, em menor escala.
Leia mais (08/06/2020 – 23h17)

Fonte do link