Livro é ponta do iceberg no debate inesgotável sobre justiça tributária



É justo livrar os livros de impostos, para que fiquem mais baratos e possam ser consumidos por mais gente?

E quanto a arroz, feijão e outros alimentos da cesta básica? Remédios? Equipamentos hospitalares? Produtos de higiene diária? Transporte coletivo? Ônibus escolares? Artigos destinados a portadores de necessidades especiais?

Todas essas mercadorias e serviços gozam de alíquota zero de PIS e Cofins, as contribuições federais incidentes sobre o consumo, e seriam atingidas pela proposta de reforma tributária do governo ou por outras que tramitam no Congresso.
Leia mais (04/15/2021 – 21h08)

Fonte do link

Compartilhe:

Comentários