João Augusto, filho de Gugu Liberato, assume protagonismo no funeral do pai



Desde 1994, quando morreu Ayrton Senna, que a cidade de São Paulo não presenciava um adeus tão grandioso e dolorido a um de seus filhos.

O velório de 22 horas de Gugu Liberato na Alesp (Assembleia Legislativa de São Paulo), iniciado na quinta (28) e encerrado nesta sexta (29), seguido pelo enterro no cemitério Gethsêmani, no bairro do Morumbi, foi condizente com a fama do apresentador e com o choque provocado por sua morte repentina. O caixão seguiu em cima de um carro de bombeiros. Taxistas fizeram carreata. Buzinaços e aplausos se ouviram ao longo de todo o trajeto.
Leia mais (11/29/2019 – 15h00)

Fonte do link