Jerry Seinfeld retorna em ótima série para ver na quarentena e depois dela



Com um título que não poderia ser mais contemporâneo, apesar de ter sido criado muito antes da pandemia do novo coronavírus, “Jerry Seinfeld: 23 Hours To Kill” (“23 Horas Para Matar”, em português), começa com uma cena gravada fora do teatro, coisa inédita nos especiais de stand up de Jerry Seinfeld para a TV. Ele aparece dentro de um helicóptero, o piloto avisa que o tráfego está congestionado e ele provavelmente vai se atrasar. Ele responde, como se estivesse num táxi: “me deixa em qualquer lugar por aqui”, e então salta dentro do rio Hudson, em Nova York, com roupa de mergulhador.

De lá, corta para os bastidores do teatro, onde ele tira a roupa de mergulhador, revela o terno que tinha por baixo e entra correndo –e completamente seco– no palco. A ousadia foi explicada pelo comediante em uma entrevista ao jornal The New York Times: “Quem mais faria uma coisa ridícula dessas aos 65 anos?”. Era também uma brincadeira com o título do especial, que soa meio como um filme de James Bond.

Sim, Seinfeld tem 65 anos. Ou tinha, quando gravou o especial no teatro Beacon de Nova York, em outubro do ano passado. Completou 66 no último dia 29. E não podia estar melhor. Ele fala sobre isso, como está bem e adorando essa fase da vida, em que pode simplesmente dizer não para qualquer convite que receba, que provavelmente vai ser muito parecido com alguma coisa que ele já viu antes. E não vê a hora de chegar aos 70, quando não precisará nem dizer o não, basta fazer um gesto de desprezo com a mão.
Leia mais (05/05/2020 – 16h31)

Fonte do link

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

seis − cinco =