Ivermectina está entre drogas mais testadas contra Covid-19, mas não atrai quem lidera pesquisas



Famoso por circular nas redes sociais como possível droga contra o novo coronavírus mesmo sem evidências científicas que sustentem a afirmação, o vermífugo ivermectina está entre as cinco combinações de fármacos mais testados no mundo em pacientes acometidos por Covid-19. Tem sido ignorado, no entanto, por países que lideram as buscas de drogas na pandemia, como Alemanha e China.

Há, hoje, 32 registros de testes com a ivermectina em humanos para a doença causada pelo novo coronavírus. A maior quantidade deles está no Egito, onde há nove pesquisas em andamento. Uma delas testa a ivermectina para prevenção à infecção do vírus -há uma pesquisa similar em Singapura. Todos os demais experimentos no mundo testam o vermífugo para o tratamento de doentes com a Covid-19.

Brasil, Argentina e México aparecem depois do Egito na lista de quem mais investe na ivermectina para Covid-19. Há três estudos com pacientes em andamento em cada um desses países.

A maior quantidade de testes de drogas em humanos para Covid-19, no entanto, segue com a associação dos antimaláricos cloroquina e hidroxicloroquina, que somam 208 pesquisas com pacientes registradas no mundo todo. Em seguida, figuram o antibiótico azitromicina (com 66 pesquisas com humanos para Covid-19), os antirretrovirais usados na infecção do HIV lopinavir/ritonavir (42) e o tocilizumabe, que é indicado para artrite (36).
Leia mais (07/14/2020 – 15h20)

Fonte do link