Inês Peixoto cria série que questiona de forma curiosa o comportamento humano


Homo Neanderthalensis ou Homem de Neanderthal é uma espécie extinta do gênero Homo, cuja existência está ligada à evolução do homem moderno. Sua existência é comprovada por meio de vários fósseis encontrados na Europa e na Ásia datando do período Pleistoceno (cerca de 2 milhões e 500 mil a 12 mil anos atrás). O nome seria uma referência ao vale de Neander, na Alemanha, local onde um dos primeiros fósseis foi descoberto. 

Pois um exemplar dessa espécie acaba de ressurgir na internet. Ou melhor, no Instagram. “A Mulher de Neanderthal Quer Saber” é o nome do mais novo projeto da atriz mineira Inês Peixoto. A “Instasérie”, como ela batizou e que “não traz nenhuma resposta, somente perguntas” tem duas temporadas, cada uma com cinco episódios. A segunda estreou no sábado (23).

 

 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 

A MULHER DE NEANDERTHAL QUER SABER Segunda Temporada Terceiro capítulo @grupogalpao @galpaocinehorto @grupontape @sinparcmg @satedmg @tiagopereira @edumoreira.ator @barbaracastroluz @joaoflmoreira @joao_nadarc @teatroemmov #atoresbrasileiros #atoresmineiros #artenaquarentena #artelivre #fiqueemcasa #seriesbrasileiras #noveladasnove #novelasglobo

Uma publicação compartilhada por Ines Peixoto (@inespeixotoatriz) em 25 de Mai, 2020 às 1:08 PDT

 

Os microcapítulos são pílulas de cerca de 30 segundos em que a personagem tenta entender o que o Homo Sapiens anda fazendo. “Essa ideia nasceu de uma vontade de me expressar e de traçar um olhar sobre o caminho que a humanidade percorreu e indagar quais trilhas o homem está percorrendo”, revela.

Questionamentos sobre a natureza, sobre o comportamento humano, o progresso, o consumismo. Tudo ela quer saber. 

Inês acrescenta que, além do desejo de querer colocar um pouco da sua criatividade e da sua agonia para fora nesses tempos de quarentena, ela quis falar sobre a essência do homem e teve como uma das inspirações livros do israelense Yuval Noah Harari, doutor em história pela Universidade de Oxford, na Inglaterra: “Sapiens – Uma Breve História da Humanidade” e “Homo Deus – Uma Breve História do Amanhã”.

“Foi então que pegando como referência essa espécie extinta, que foram os neandertais, e ainda sob a perspectiva de uma mulher, já que sempre vemos a história sob o prisma masculino, eu quis fazer essas indagações. Com a pandemia estamos nessa caverna contemporânea, todos dentro de casa, e achei que ia render algumas reflexões interessantes”, acredita.

A integrante do Grupo Galpão diz que a repercussão está a surpreendendo e ressalta a importância de poder “encontrar” e trocar ideias com o público, amigos e colegas mesmo de uma forma virtual.  “As perguntas são profundas, mas trazem em si um humor bem interessante, que é algo que eu gosto muito. O texto é meu e não deixa de ser também um exercício de escrita já que aborda vários tempos do nosso mundo. As pessoas estão gostando dessa Instasérie, se manifestando, compartilhando”, comenta. 

 

 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 

A MULHER DE NEANDERTHAL QUER SABER Quarto e penúltimo micro capítulo @grupogalpao @galpaocinehorto @grupontape @sinparcmg #fiqueemcasa #artenaquarentena #atoresbrasileiros #atoresdobrasil #atrizesbrasileiras #cinemanacional #cinemabrasileiro #seriesbrasileiras #noveladasnove #noveladaglobo

Uma publicação compartilhada por Ines Peixoto (@inespeixotoatriz) em 5 de Mai, 2020 às 3:01 PDT

 

O cenário  – a caverna da mulher de Neanderthal – foi improvisado em um dos quartos da casa que Inês mora em BH com o marido, o também ator e diretor Eduardo Moreira, que filma as cenas. 

Aliás, está tudo em família já que a edição ficou a cargo de um dos filhos do casal, Tiago Pereira, que mora em Los Angeles. “A gente escurece tudo e tem apenas a luz de uma lanterna no meu rosto.  Coloco borra de café na cara para dar aquele aspecto primitivo e a trilha também é minha. Toco um bongô que faz lembrar os sons das cavernas (risos). E aí o meu filho faz a montagem. O formato ficou legal também por ser rápido, não cansa. E o resultado é esse aí. Acho que ficou bem bacana”, celebra Inês Peixoto que tem desenvolvido outros projetos na quarentena, sejam os pessoais ou ao lado do Grupo Galpão.



Fonte do link

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

quatro × dois =