Idoso vítima de Covid-19 é enterrado no lugar de outra pessoa em Belo Horizonte


A família do aposentado Lair Levindo Soares, de 65 anos, está passando por momentos de dor e sofrimento, não só pela sua morte, causada em decorrência de complicações da Covid-19, mas também por uma situação que beira o surreal. Seu corpo foi trocado pela funerária e enterrado no lugar de outra pessoa, também vítima da pandemia, em Belo Horizonte.

Segundo o seu filho, Diogo Soares, de 33 anos, a notícia da morte foi dada nessa quinta-feira (1), mas a confusão foi revelada nesta sexta-feira (2). “Meu pai faleceu por volta de 7h vítima de Covid-19 no hospital da Unimed, em BH. Lá, me informaram que o corpo dele seria encaminhado para a Santa Casa para posterior retirada para velório e sepultamento. Minha família então providenciou as cerimônias para a data de hoje (2) a partir das 15h no cemitério Parque Renascer, em Contagem, onde ele residia”, contou.

Leia mais: Corpos são deixados na portaria de UPA em BH por falta de espaço em necrotério

Nesta manhã, Diogo foi chamado à Santa Casa, onde estaria o corpo de seu pai, para reconhecimento. “Fui acordado com uma ligação da funerária contratada pela família, quando me informaram que a Santa Casa não estaria liberando o corpo do meu pai. Chegando lá, fui atendido por três funcionários que me explicaram que tinham cometido um erro e que, por engano, providenciaram o enterro do meu pai ontem às 16h30 no cemitério da Saudade”, afirmou.

À família, a Santa Casa afirmou que iria fazer a exumação do corpo e que iriam se responsabilizar por todos os serviços funerários. Com isso, Lair Levindo será sepultado às 13h deste sábado (3) no Parque Renascer.

“Absurdo”

Para o filho do idoso, o momento vivido é como se fosse um pesadelo. “Eu não tenho nem palavras para descrever a dor e sofrimento que a família e amigos estão passando, como se já não bastasse a dor enfrentada por todos por causa da partida do meu pai e por causa dessa pandemia”, lamentou.

“E ainda todos nós somos obrigados a passar por uma situação tão lamentável, desesperadora e absurda que ocorreu. De uma funerária trocar corpos e causar tanto transtorno e dor a famílias, não só a minha, mas também à outra que foi vítima disso”, concluiu Soares.

Posição

Em nota, a Funerária Santa Casa BH lamentou o ocorrido e informou que a troca dos corpos ocorreu, principalmente, em decorrência do grande volume de óbitos dos últimos dias, ocasionados pelo agravamento da pandemia. Além disso, frisou que irá resolver o problema da melhor maneira possível. Leia na íntegra:

“A Funerária Santa Casa BH informa que, no dia 1 de abril de 2021 recebeu para sepultamento, dentre vários, os corpos do Sr. L. L. S. e da Sra. S. A. C. Atribulados pelo grande volume de serviços decorrente do aumento do número óbitos dos últimos dias, em razão do agravamento da pandemia de Covid-19, infelizmente, ocorreu um erro na identificação dos corpos, o que ocasionou a troca no momento do sepultamento.

“Lamentamos imensamente o ocorrido e pedimos desculpas por todo o transtorno. Informamos que, no caso do corpo do Sr. L. L. S, assim que constatada a ocorrência, foi adotada a providencia de exumação e destroca. Neste momento, nossos serviços estão sob profunda revisão dos processos para que, mesmo na vicissitude da pandemia, não volte a ocorrer situações como esta.”

Outro caso

Em janeiro desde ano, o corpo de uma idosa de 91 anos, também vítima do coronavírus, foi enterrado no lugar de uma outra pessoa, em uma cova coletiva de um cemitério de Belo Horizonte. O caso gerou revolta da família.

O hospital informou que a funerária cometeu um erro no momento de retirar o corpo do centro de saúde. Já a mesma não se posicionou sobre o fato.

Fonte do link