Idosa de BH comemora 93 anos com festa 'à distância' do lado de fora de casa


As comemorações de aniversários, em meio a pandemia do novo coronavírus, seguem acontecendo mas agora de um novo jeito. Muita gente faz questão de celebrar o novo ano de familiares e amigos e assim foram criadas algumas alternativas pra data não passar em branco.

Apesar de abraços e cumprimentos não serem permitidos, o que vale é celebrar a data e ter por perto tantas pessoas especiais.

Dona Florinda, da varanda de onde mora, no bairro Renascença, em Belo Horizonte, não escondeu a emoção de ver grande parte da família reunida para cantar parabéns em festa que teve curta duração, mas que ficará marcada por muito tempo.

O aniversário de 93 anos, comemorado neste sábado, certamente vai ficar marcado, apesar de acontecer de um jeito que ninguém gostaria. A pandemia do novo coronavírus obrigou que a comemoração acontecesse à distância, sem poder receber o abraço e beijos dos sete filhos, além de netos e sobrinhos. Foram cerca de sete carros e 20 pessoas. Os familiares fizeram uma curta carreata até a porta da casa, surpreendendo a aniversariante, que precisou se segurar pra não chegar muito perto. Os carros estavam decorados com balões . 

Lamentando muito não poder estar em contato próximo da mãe desde março, duas filhas tiveram a ideia de marcar presença, com todos os irmãos e outros parentes, na porta da casa da viúva.

De longe, da varanda da casa que mora há muitos anos, Dona Florinda não escondeu a felicidade de ver todos a poucos metros de distância, podendo abraçar somente as duas filhas que moram com ela.

“Acho que ela vai ficar muito aflita, querendo que a gente entre pra poder dar um abraço em cada um”, conta Maria Inês, uma das filhas, instantes antes da surpresa. Foi inevitável não chamar atenção dos vizinhos. 

Três participações foram especiais no aniversário: netos que estão em João Pessoa (PB), Nazareno (MG) e no interior de São Paulo participaram por videochamada, já que não puderam estar presente em Belo Horizonte. Dois deles são médicos e estão na linha de frente do combate ao Covid-19. 

Carreata com direito a balão de neon e personagem fantasiado

Mãe de Henrique, de 10 anos, a professora Cristiana Bosco fez o aniversário do filho reunindo 24 carros e mais de 70 pessoas. O evento, marcado para a noite, teve balões de néon e muita buzina e pisca-alerta. “Fiz uma marmitinha de doces pra cada um

Sua amiga, a nutricionista Paula Vilela contratou até a personagem Rapunzel para o aniversário de cinco anos da da filha, que precisou, como os outros, ter os votos de felicidade e os parabéns acontecendo de longe. “Já estava em contato com algumas destas pessoas que viriam fantasiadas.  Minha filha estava bem envolvida na organização. Foi tudo de surpresa pra ela”, conta. 

Surpresa

A ideia da festa de dona Florinda ficou somente entre alguns dos filhos que não moram ela, surpreendendo até mesmo quem não mora com a matriarca, nascida em São João del Rey, assim como todos seus herdeiros. “Pedi pra minha irmã fazer um bolo pra ela. O combinado era que faríamos uma chamada por vídeo com todos os irmãos na parte da noite, mas trouxemos esta novidade pra eles no meio da tarde”, relata Maria Inês.

Uma outra ideia que ficou pelo caminho era cantar o parabéns por videochamada, que já acontece todos os dias. “Ela é muito lúcida, faz as coisas todas de casa, mas não entende tão bem essa coisa de internet. Às vezes, fica difícil dela entender o que falam, nem sempre reconhece as imagens dos filhos, além da conexão de um ou outro cair”, conta Maria Inês. Foi assim que eles fizeram questão de cantar o parabéns de 93 anos pessoalmente, mas a alguns metros de distância, do lado de fora casa, com direito a música do ídolo Roberto Carlos na caixa de som. 

A lembrancinha que costuma ser entregue ao final, em todos os aniversários de Dona Florinda, chegou nas mãos dos presentes na chegada à sua casa: máscaras embaladas e higienizadas, todas da mesma cor. Salgados e bebidas não faltaram no encontro que não pôde durar muito para evitar aglomerações e qualquer chance de alvoroço no bairro. Os comes e bebes foram entregues aos convidados para serem consumidos em suas casas. 

Sem viajar

Desde que completou 80 anos, Dona Florinda se acostumou com uma festança daquelas organizada pela família. Depois de um hotel cinco estrelas receber a comemoração de oito décadas, os familiares sempre se reuniam em alguma cidade pequena para celebrar mais um ano de vida da mãe, avó, tia e bisa, com direito a festa e missa na igreja do município escolhido. Toda a programação da festa de 2020, já reservada para a cidade de Nazareno, precisou ser cancelada por conta da pandemia. 

Fonte do link

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

oito + dezessete =