Hospital João XXIII recebe mais duas vítimas de explosão no Acre


Mais duas vítimas de um acidente envolvendo um barco ocorrido no Acre, no Norte do país, chegaram para ser atendidas no Hospital de Pronto Socorro João XXIII, em Belo Horizonte. Dois homens, com idades de 33 e 39 anos, deram entrada na unidade de saúde na tarde desta quarta-feira (12), conforme divulgado no boletim.

De acordo com a nota, os dois homens passarão pelo Bloco Cirúrgico, ainda nesta noite, “para procedimentos padrões em casos de queimaduras”. O helicóptero do Corpo de Bombeiros, Arcanjo 2, foi o responsável por transportar o homem de 33 anos até a unidade.

Com a entrada dos dois homens na unidade de saúde, chega a seis o número de vítimas internadas após explosão de uma embarcação na última sexta-feira (7) em Cruzeiro do Sul, no Acre. Duas pessoas em estado grave chegaram na terça-feira (11) no aeroporto da Pampulha, por volta de 4h.

As vítimas, um menino, de três anos e quatro meses, que teve 24% do corpo queimado, e um homem, de 45, que teve 80% do corpo atingindo, foram encaminhadas à unidade de atendimento. 

Durante a noite, chegaram outros dois homens, de 45 e 51 anos. Todos esses pacientes estão em estado grave, segundo o boletim.

O acidente

A explosão em um barco que levava passageiros e galões de combustível pelo Rio Juruá deixou 18 pessoas gravemente feridas no início da noite da última sexta-feira, 7, em Cruzeiro do Sul, interior do Acre.

A Polícia Civil acredita que o barco era utilizado para o transporte irregular de combustível. Conforme o delegado Lindomar Ventura, da Delegacia Central de Cruzeiro do Sul, o barco estava ancorado e fazia o abastecimento de cinco galões de combustível quando houve a explosão.

As primeiras apurações indicam que um dos galões teria transbordado e combustível se inflamou ao atingir equipamentos do navio. As chamas envolveram rapidamente a embarcação, que transportava também malas de viagem e mercadorias diversas.

Equipes do Corpo de Bombeiros foram mobilizadas para combater as chamas e dar socorro aos feridos. Pessoas com até 90% do corpo queimados foram levadas para o Hospital do Juruá. (Com Raquel Penaforte)

 

Fonte do link