Grupo de médicos, pais e educadores voltam a pedir prioridade da educação em BH


Em manifesto divulgado nesta segunda-feira (21), um grupo de médicos, pais de alunos e professores pediu para que a Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) autorize o retorno às atividades escolares, suspensas desde março deste ano devido à pandemia de coronavírus. Segundo os integrantes, é preciso que a educação seja uma prioridade quando o assunto é reabertura.

No início deste mês, o grupo, que ainda não era composto por médicos, instalou outdoors na cidade com a frase: “Belo Horizonte, por que nossas crianças não são prioridade para a prefeitura? A escola deve ser a primeira a abrir e a última a fechar.” Agora, entre os pedidos, estão:

– Trabalho interssetorial para que todas as crianças do município tenham acesso à educação por meio da inclusão digital;

– Que escolas públicas e particulares sejam as primeiras a abrir e as últimas a fechar;

– Que sejam realizados nas escolas públicas os investimentos necessários em infraestrutura, Equipamento de Proteção Individual (EPIs) e materiais para isso;

– Que a reabertura das escolas não esteja condicionada à vacinação, mas que todos os educadores e funcionários das escolas sejam vacinados juntos com os demais grupos prioritários, quando a vacina chegar;

– Que o comitê extraordinário contra a Covid-19 tome a decisão de abrir as escolas, no máximo, em 1º de fevereiro de 2021;

– Que a PBH comece dialogue com os sindicatos dos professores e apresente a eles os protocolos de volta às aulas.

Segundo o neurologista infantil e presidente da Associação Brasileira de Neurologia e Psiquiatria Infantil e Profissões Afins (Abenepi), Rodrigo Carneiro, o objetivo não é apenas volta às aulas, mas que isso seja um assunto pautado de forma mais evidente e dada sua devida importância.

“Queremos que a educação seja prioridade na retomada, mas seja feita de maneira consciente, escalonada e facultativa, que fique claro. Não é simplesmente um movimento para voltar. Queremos criar todas as condições para que isso seja possível”, afirmou Carneiro.

Ainda conforme o texto, o comitê de enfrentamento informou que todas as escolas públicas já estão preparadas para reabrir, “portanto, a reabertura depende exclusivamente de ações efetivas da prefeitura para diminuir o contágio”

Ao fim, o grupo frisa duas frases: “Lugar de criança é na escola e nossas crianças estão adoecendo fora delas”, e “Manter escolas fechadas durante a pandemia é um erro e causa impactos devastadores no aprendizado, no bem-estar físico e mental e na segurança das crianças.”

Outro lado

Segundo a PBH, a partir desta semana, estão programadas reuniões internas para a discussão do assunto. Conforme a secretária municipal de Educação, Ângela Dalben, na próxima quarta-feira (23), o prefeito Alexandre Kalil (PSD) deve enviar um cronograma sobre esses encontros, mas já adiantou que dificilmente alguma decisão será tomada nos próximos dias.

Fonte do link

Compartilhe:

Comentários