Grandes empresários criticam intenção eleitoreira do governo

A investida do governo sobre o teto de gastos para bancar o novo Bolsa Família de R$ 400, batizado de Auxílio Brasil, levanta preocupação de grandes empresários que veem intenção eleitoreira e consequência de pressão inflacionária.

Pedro Passos, cofundador da Natura, diz que é “um absurdo” o país estar improvisando uma política social. Para o empresário, houve tempo suficiente para respeitar o aspecto fiscal e construir uma política social estruturante, tanto na transferência de recursos diretamente para as pessoas mais necessitadas, como em educação, saúde e moradia.

“Acho que estamos diante de uma agenda eleitoreira e não estamos fazendo a política social correta, sob o risco de prejudicar ainda mais a população com volatilidade, que empurra o dólar para cima e, portanto, gera inflação, gera mais problema para os mais desprovidos”, diz Passos.?
Leia mais (10/21/2021 – 16h28)

Fonte do link

Compartilhe:

Comentários