Governo atrasa nomeação de oito reitores de instituições federais



O governo Jair Bolsonaro (PSL) tem retido a nomeação de oito reitores de instituições federais de educação. Embora o MEC (Ministério da Educação) não dê explicações para a demora às universidades e aos institutos, o ministro Abraham Weintraub indicou, em audiência no Senado, que questões políticas têm relação com os atrasos.

Cinco institutos e três universidades estão com reitores eleitos e esperam a nomeação por parte do governo federal, que  tem mantido dirigentes temporários ao invés de oficializar os escolhidos.

Além de temerem prejuízos administrativos, reitores estão apreensivos com a postura ideológica do governo na relação com as instituições, que enfrentam bloqueios de orçamento e têm sido alvos de ataques do ministro. Na semana passada, centenas de cidades registraram manifestações contra os cortes de verba na educação.

Weintraub disse no Senado, no dia 7, que “os ânimos exaltados” têm ligação com os atrasos. “A gente está avaliando o melhor momento para fazer as nomeações”, disse. 

Questionado pela reportagem, o MEC não deu esclarecimentos acerca dos motivos ou sobre as expectativas para quando haverá definições.
Leia mais (05/20/2019 – 02h00)

Fonte do link

Comentários no Facebook