Gilmar manda CNJ apurar conduta de Bretas em caso de secretário de Doria



O ministro Gilmar Mendes, do STF (Supremo Tribunal Federal), mandou o CNJ (Conselho Nacional de Justiça) apurar a conduta do juiz federal Marcelo Bretas por não ter enviado à Justiça Eleitoral de Goiás duas ações contra o secretário dos Transportes Metropolitanos de São Paulo, Alexandre Baldy.

Em outubro, Gilmar retirou as duas investigações das mãos de Bretas, responsável pela Lava Jato do Rio de Janeiro, por entender que as acusações do Ministério Público Federal diziam respeito a movimentações ilícitas para doações de campanha eleitoral.

Agora, o ministro determinou que o CNJ seja oficiado para, “diante da recusa do juiz” em remeter o caso à Justiça Eleitoral de Goiás, apurar a “eventual responsabilidade funcional do magistrado”.

Baldy foi preso por determinação de Bretas em 6 de agosto, por acusações ligadas a um período anterior à entrada dele no Governo de São Paulo, mas Gilmar concedeu habeas corpus no dia seguinte e ele foi liberado. Duas semanas antes, o ministro do STF já havia suspendido a tramitação das investigações.
Leia mais (12/18/2020 – 15h43)

Fonte do link

Compartilhe:

Comentários