Fórum de Educação abre consulta pública sobre volta às aulas em Minas Gerais

O Fórum Estadual Permanente de Educação de Minas Gerais (Fepemg), órgão vinculado à Secretaria de Estado de Educação (SEE), mas que tem representantes da sociedade, abriu uma consulta pública para coletar a opinião de estudantes, professores, pais e demais pessoas a respeito da possível retomada das atividades escolares presenciais. Suspensas desde março devido à pandemia de coronavírus, as aulas ainda não têm data para voltar, mas o assunto já é estudado pelo governo estadual.

Nessa consulta, há perguntas como em qual segmento a pessoa estuda ou trabalha, como está a situação na região ela onde mora com relação à Covid-19 e a opinião sobre o retorno, se ele não deve acontever por enquato ou só quando haver uma vacina eficaz contra a doença.

Segundo a coordenadora do Fapemg, Analise da Silva, que também é professora da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), a própria SEE solicitou proposta sobre como ocorreria essa volta. “Nos foi solicitado, pela secretária de Estado de Educação, que também é membro do Fapemg, que nós apresentássemos propostas para um protocolo pedagógico e sanitário para o caso de um retorno presencial, quando este for possível”, disse.

Escolas ainda não têm data para ser incluídas no Minas Consciente, diz governo

Analise confessou que, pessoalmente, é contra o retorno das aulas neste ano, mas é importante ouvir a população. “Na nossa última reunião plenária, nós discutimos a temática, mas nos posicionamos contrários ao retorno ainda em 2020. E para subsidiar esse nosso posicionamento, o Fepemg optou por utilizar uma ferramenta que possibilita aos cidadãos interessados se manifestarem sobre o tema. Para isso, nós estamos realizando a consulta pública, por meio de um formulário, de preenchimento aberto, simples, que tem como objetivo garantir a participação da sociedade nessa decisão, que é tão séria e tão grave”, explicou.

Para a coordenadora, a expectativa é que o governo estadual leve em consideração a opinião popular, pois, dessa forma, é possível saber como está a real situação de estudantes, professores e familiares. “Se a SEE vai receber e levar ou não consideração esses dados, nós não podemos garantir. Mas o que nós avaliamos é que sim, será considerado. Porque essa pesquisa com a população pode ajudar a ampliar a percepção do governo sobre isso. O que o povo de Minas Gerais quer que o governo decida sobre a volta presencial de nossas crianças e de nossos adolescentes, neste momento, em que ainda não temos vacina e nem remédio para essa doença que já matou 118 mil entes queridos?”, concluiu.

Até esta quinta-feira (27), 25.331 pessoas de aproximadamente 300 municípios mineiros já participaram da enquete, que ficará no ar até o dia 4 de setembro. O panorama geral será enviado ao Comitê Executivo Covid-19 no dia 8 de setembro. Para acessar a consulta pública, clique aqui.

Minas Consciente

O governo de Minas informou que está avaliando os meios mais seguros para a retomada das atividades presenciais nas instituições de ensino, considerando critérios técnicos e científicos. “O material será finalizado, após amplas discussões e estudos realizados pela secretaria com entidades educativas, e será apresentado em breve”, diz nota.

Um dos objetivos seria incluir a educação no programa de flexibilização das atividades comerciais do Estado, o Minas Consciente.

Fonte do link