Fora de casa, Palmeiras vence o Grêmio na 1ª partida da final da Copa do Brasil


O Palmeiras saiu na frente do Grêmio na decisão da Copa do Brasil. Neste domingo (28), em Porto Alegre, o time alviverde ganhou por 1 a 0, gol de Gustavo Gómez. Agora, terá a vantagem de segurar um empate no jogo de volta, em São Paulo, para conquistar o torneio pela quarta vez em sua história.

Envolvido em uma série de jogos decisivos desde o fim de janeiro, quando disputou a final da Libertadores com o Santos, a equipe alviverde mostrou evolução técnica em relação aos seus últimos confrontos, sobretudo em comparação com as atuações diante do Tigres (MEX) e do Al-Alhy (EGI), no Mundial, quando acabou com o quarto lugar do torneio.

Consistente na defesa e com velocidade e boa troca de passes nos contra-ataques, a equipe alviverde teve chance de construir vantagem ainda maior diante dos gremistas, mas Luiz Adriano e Rony desperdiçaram duas chances claras.

O duelo de volta será no dia 7, no Allianz Parque, às 18h – entre as finais do mata-mata, a equipe alviverde terá o clássico contra o Corinthians, na quarta-feira (3), na Neo Química Arena, partida válida pela segunda rodada do Campeonato Paulista e que marcará a sua estreia no torneio.

No 13º encontro entre as equipes em competições de mata-mata, os paulistas têm a chance de diminuir a vantagem dos gaúchos, vencedores de sete disputas contra cinco dos palmeirenses.

Parte dessa vantagem gaúcha foi construída no confronto pelas quartas de final da Libertadores de 2019, o último encontro em mata-matas entre as duas equipes, que serve de alerta para os palmeirenses.

Naquela ocasião, o time alviverde também venceu o jogo de ida, fora de casa, por 1 a 0, mas acabou sendo eliminado ao perder na volta por 2 a 1, no Pacaembu. Na competição continental, porém, ainda há como critério de desempate o gol como visitante, regra que não existe mais na Copa do Brasil.

Para ficar com a vaga, o Grêmio terá que fazer o que teve muita dificuldade para conseguir em casa: furar o sistema defensivo alviverde. Embora tenha iniciado o duelo com mais ímpeto, não criou muitas chances claras de abrir o marcador.

A forma mais efetiva de fazer o goleiro Weverton trabalhar era com chutes de longa distância, fundamento em que Alisson se destacou, com dois bons arremates que passaram próximos à meta palmeirense.

Bem fechado atrás, o time de Abel Ferreira também era organizado nos contra-ataques, puxados por Rony e Wesley, principalmente.

Mas foi numa bola parada que os paulistas encontraram o primeiro gol, aos 31 minutos. Após cobrança de escanteio da direita, Gustavo Gómez subiu sozinho na pequena área para testar a bola. Paulo Victor ainda tocou na bola, mas não evitou que ele moresse no fundo da rede.

Faltou pouco para o Palmeiras virar a primeira etapa com uma vantagem maior, mas Luiz Adriano perdeu uma chance incrível, aos 45, sozinho de frente para o gol.

Depois do intervalo, os visitantes voltaram a desperdiçar duas boas chances de ampliar o placar, a melhor delas com Rony, aos 10, após Raphael Veiga colocar a bola entre as pernas do zagueiro antes de servir o camisa 11, livre na pequena área.

O volume ofensivo, porém, caiu sensivelmente aos 19 minutos, quando o time de Abel passou a jogar com um a menos. Num lance que não levaria perigo à meta alviverde, já na linha de fundo, próximo à bandeira de escanteio, Luan disputou a bola com Diego Souza e acertou uma cotovelada no atacante.

Inicialmente, o árbitro Marcelo de Lima Henrique deu cartão amarelo para o defensor, mas logo mudou a marcação ao ser alertado pelo auxiliar. Diego Souza ficou com o rosto sangrando após o choque, mas voltou à partida.
Mesmo com a superioridade numérica e passando mais tempo com a bola no campo de ataque, o Grêmio seguiu com dificuldade para furar a defesa alviverde e não conseguiu chegar ao empate.

Enquanto se segurava atrás, o Palmeiras ainda tentava explorar os contra-ataques, porém de forma mais comedida para não se expor. Assim, segurou a vitória.

Fonte do link

Compartilhe:

Comentários