Financiar auxílio com impostos 'temporários' mata de vez esperança do crescimento

O ano começa com um ambiente confuso em torno da prorrogação do auxílio emergencial. É inegável que a descontinuação abrupta do programa em meio ao caos econômico e social produzido pela pandemia justifica a sua manutenção por mais alguns meses, o que se reflete na pressão política feita pelos congressistas sobre o governo. Mas também é verdade que, talvez pela falta de liderança do Executivo em lidar com um tema inevitável ao longo dos últimos meses, têm surgido propostas de adequação duvidosa e outras que comprometem seriamente o crescimento futuro do país.
Leia mais (02/16/2021 – 23h15)

Fonte do link

[uam_ad id="6960"]