Distanciamento de William e Harry começou no divórcio dos pais, diz livro


O relacionamento de irmãos dos príncipes William e Harry mudou muito enquanto eles cresciam, de acordo com o escritor Robert Lacey, que está para lançar o a biografia não-oficial “Battle of Brothers: William and Harry — the Friendship and the Feuds”. Em português, o título pode ser traduzido como Batalha de Irmãos: William e Harry – A Amizade e as Controvérsias.

Segundo o escritor, a semente da discórdia entre eles começou com o divórcio dos pais, o príncipe Charles e a princesa Diana, em 1992. Lacey trabalhou como consultor histórico da série “The Crown” e diz que “os dois irmãos – antes inseparáveis e agora mais separados do que pela mera distância – vêm agindo em contradição desde a infância: desde o fim do casamento dos pais”.

As desavenças teriam se aprofundado com os casamentos de William (38) com Kate Middleton e de Harry (35) com Meghan Markle. E mais ainda quando Harry e Meghan se afastaram da família real e se mudaram para Los Angeles, com o filho Archie. “Muito reportado, mas pouco compreendido, o fato é que os filhos de Diana viveram sob duro exame minucioso desde que nasceram. Eles foram criados para serem irmãos próximos, mas os últimos 18 meses foram uma ruptura devastadora de um laço que antes era inquebrável”, diz a sinopse do livro.

O livro tem previsão de lançamento para outubro deste ano. 

Assessores da família real temem que livro de Harry e Meghan pintem William como vilão

Assessores reais declararam que temem que o livro do príncipe Harry e Meghan culpe o príncipe William por sua brecha e pela saída do casal da Grã-Bretanha – desencadeando uma nova guerra Megxit. Assessores comentam que temem que a biografia que pretende esclarecer detalhes da saída do casal possa “pintar William como vilão”.

De acordo com o ‘The Sun’, uma fonte descreveu como eles temem que o futuro rei, que acaba de completar 38 anos, seja retratado como “antipático, insensível e pouco compreensível, enquanto Harry e Meghan aparecerão gentis e filantrópicos”.

A crise que o livro pode acarretar está sendo comparada a declaração de Diana em 1995, em entrevista com Martin Bashir para o BBC, quando comentou “havia três de nós neste casamento, por isso estava um pouco cheio”, sobre a traição de seu marido Charles com Camilla. “O livro pode ser a coisa mais prejudicial para a família real desde a entrevista do príncipe Diana para Martin Bashir”, comentaram.

Uma fonte disse que assessores têm discutido se o livro, uma biografia não oficial, mostrará injustamente apenas o lado de Harry e Meghan. A fonte acrescentou: “Eles estão preocupados com o fato de William ser retratado de maneira ruim. Esse tipo de briga de família não deveria ser público”.

É relatado que os Sussex cooperaram com o livro, chamado “Finding Freedom: Harry and Meghan e a Making of A Modern Royal Family”. Os jornalistas Omid Scobie e Carolyn Durand tiveram acesso a mais de 100 pessoas para escrever a obra, e fontes dizem que o casal será retratado de maneira bastante positiva.

Enquanto assessores enfatizam que o retrato que o livro possa desenhar sobre William e Kate seja injusto, imagina-se que a biografia critique o papel de William durante as negociações do Megxit em janeiro. A fonte acrescentou: “Harry e Meghan estavam tentando romper com a tradição”.

Fonte do link

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

4 × quatro =