Desde 1ª edição, Copa América deixou uma coleção de histórias e lendas



Nelson Rodrigues conta na crônica “Ladrão de Galinheiro”, sobre a final do Campeonato Sul-Americano de 1959, a velha Copa América, que o estádio Monumental de Nuñez, em Buenos Aires, estava cercado por 120 mil inimigos ululantes. Puro romance, porque jamais houve tantos lugares disponíveis para lotar o estádio do River Plate, que recebeu 71 mil na decisão da Copa do Mundo de 1978.

O texto genial termina com a descrição precisa, de um jogo que não foi transmitido pela TV e, portanto, Nelson jamais assistiu. Com empate por 1 a 1 entre Brasil e Argentina, gols de Pizzutti e Pelé, Garrincha teria passado pelo goleiro Negri e chutado para o gol vazio. Bola encaminhada para a rede, o árbitro chileno Carlos Robles apitou, ou como descreve Nelson Rodrigues, apitou histericamente. 

“Amigos, Robles assassinou o gol do Brasil!”
Leia mais (06/16/2019 – 02h00)

Fonte do link

COMPARTILHAR

Comentários no Facebook