Decisão mais burra que já vi na Assembleia de SP, diz deputado sobre pena mais branda em caso Isa Penna



Voto vencido no Conselho de Ética da Alesp (Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo), o deputado Barros Munhoz (PSB) classifica a punição dada ao deputado Fernando Cury (Cidadania) como uma licença-prêmio e como a decisão “mais burra” que ele viu em 40 anos no legislativo paulista.

Cury foi filmado apalpando a deputada Isa Penna (PSOL) durante uma sessão da Alesp. Munhoz defendia a proposta de seis meses apresentada pelo relator do caso, o petista Emídio de Souza (PT). Votaram pelo abrandamento da punição os os deputados Wellington Moura (Republicanos), Alex de Madureira (PSD), Adalberto Freitas (PSL), Delegado Olim (PP) e Estevam Galvão (DEM).

Ao Painel Olim disse que foi uma “boa pena”.

Munhoz, por sua vez, diz que a decisão terá duas consequências. A primeira, destruir politicamente o deputado Fernando Cury. A segunda, explica, será jogar “mais lama ainda no nome” da Alesp.

“Estamos nos equiparando, com essa decisão, aos piores parlamentos do Brasil, que têm dados exemplos vergonhosos que tanto revoltam a população”, diz o deputado.

O parlamentar cita ainda um terceiro efeito da pena mais branda aprovada. Segundo ele, no Plenário, ela será derrotada.

“Vão perder e perder feio no Plenário, não adiantou nada. Prejudicou a situação do moço”, afirma.
Leia mais (03/07/2021 – 23h35)

Fonte do link