Coronavírus: vítima de Paraisópolis pode ter sido contaminada por parentes de SP


O boletim epidemiológico da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) confirmou nesta quarta-feira (8) que o falecimento da senhora de 88 anos de Paraisópolis, ocorrida na última sexta (4), realmente foi em decorrência da infecção pelo novo coronavírus (Covid-19).

Segundo o prefeito do município do Sul de Minas, Sérgio Wagner Bizarria (PR), dona Nicomedia estava internada havia mais de duas semanas, não tinha comorbidades pré-existentes, mas acabou falecendo por causa de complicações respiratórias, uma dos sintomas mais graves da Covid-19.

Segundo Bizarria, ela já havia sido transferida para Itajubá, cidade referência na região, e não resistiu. O curioso é que o filho de Nicomedia, de 53 anos, foi o primeiro caso de coronavírus confirmado em Paraisópolis, mas por ter feito o exame numa rede particular, sua condição ainda não consta na lista divulgada pela SES.

“Ela estava melhor que o filho, até achamos que ele iria falecer por já ter diabetes e outros problemas de saúde. Ele segue na UTI, respirando por aparelhos, mas agora está tendo uma pequena melhora. A situação dele está mais controlada agora, não está fora de  risco, mas os médicos já pensam em retirar o ventilador”, explicou o prefeito.

Ainda de acordo com o chefe do Executivo, a suspeita de contaminação de mãe e filho decorre da visita de parentes de Taubaté, distante apenas 80 quilômetros, que os visitaram no mês de fevereiro.

“Temos suspeita, mas não podemos afirmar. Alguns parentes de Taubaté estiveram com eles no começo de fevereiro e suspeita-se dessa contaminação. Taubaté tem um foco grande, acreditamos que eles trouxeram o vírus, mas não podemos afirmar que é isso”, continuou.

Quanto ao enterro de dona Nicomedia, o prefeito explicou que foram seguidos os trâmites determinados pelo Ministério da Saúde. ela já chegou a Paraisópolis num caixão lacrado, não pôde ter um velório e o enterro foi acompanhado por poucos parentes, que tiveram de ficar distantes.

Desabafo

Nem mesmo a morte confirmada e o caso grave fazem com que a população do município de cerca de 22 mil habitantes se previnam. Segundo Bizarria, a população continua na rua e não tem colaborado.

“Temos mais um ou dois pacientes transferidos para Itajubá, possivelmente com esse problema (coronavírus), além de uma freira da Casa da Criança que também faleceu e tudo indica que seja pelo coronavírus, apesar de ainda estarmos esperando o resultado. Mas mesmo assim a população não está assustada, não tem ficado em casa. Banco com fila grande, o povo não colabora, parece que ainda não está convicto do quanto isso pode ser grave para a saúdem deles. Pedimos para usar máscara, limitamos a abertura de comércio, mas infelizmente é isso”, completou Bizarria.

Fonte do link

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

dois × quatro =