Coronavírus: Minas Gerais tem cerca de 300 casos em um dia; mortes chegam a 230


Com pico da pandemia de coronavírus em Minas Gerais estimado para acontecer em 10 de junho, os números referentes a casos de Covid-19 e óbitos causados pela infecção no estado não param de crescer. A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) confirmou, apenas entre a manhã de domingo (24) e esta segunda-feira (25), que mais 294 mineiros estão infectados com o coronavírus, e o número total desde o mês de março praticamente ultrapassa 7.000 – são 6.962 casos espalhados em 385 municípios de Minas Gerais.

Também nas últimas 24 horas, a pasta confirmou novos quatro óbitos ocorridos em função da doença, sendo dois deles em Mariana, um em Açucena e um em Camanducaia. Duzentas e trinta pessoas morreram no Estado entre 28 de março e sábado (23). A capital Belo Horizonte concentra o maior número de óbitos em decorrência da infecção, são 42 dos 230 notificados em Minas Gerais. Está também na cidade a maior quantidade de pessoas diagnosticadas com a Covid-19, cerca de 1.400.

O processo de interiorização do coronavírus em Minas Gerais desperta a atenção dado o aumento no número de municípios que têm pelo menos um caso da doença. Das 853 cidades existentes no estado, 385 já têm moradores infectados. Os óbitos, segundo balanço da SES-MG, aconteceram em 94 dos municípios – um índice de letalidade de 3,3% na região.

Interior

Juiz de Fora, na Zona da Mata, não é mais a segunda cidade de Minas Gerais com a maior concentração de casos de Covid-19 – apesar de ter o segundo maior número de óbitos no estado, 26 até o momento. Com 503 moradores diagnosticados, a cidade fica atrás de Uberlândia. O município do Triângulo Mineiro atestou a existência de 559 casos confirmados da doença, e 14 pessoas morreram após serem contaminadas.

Outra cidade com elevado número de casos é Barbacena, no Campo das Vertentes. Até sexta-feira (22), a cidade tinha menos de 40 pessoas diagnosticadas com coronavírus. O número saltou para 235, segundo relatório desta segunda-feira (25). A explicação é a confirmação de, pelo menos, 90 casos detectados na Escola Preparatória de Cadetes do Ar (Epcar).

Sob comando da Aeronáutica, a instituição de ensino só decidiu suspender as aulas na última semana após recomendação do Ministério Público Federal (MPF). O órgão recebeu inúmeras denúncias de pais de alunos sobre aglomerações na unidade que não seguiu a tendência em Minas Gerais e optou por manter as aulas mesmo com o isolamento social.

Quatro mortes

Entre domingo e esta segunda-feira, quatro mortes causadas pelo coronavírus foram contabilizadas no relatório da Secretaria Estadual de Saúde (SES-MG). Duas delas aconteceram em Mariana, na região Central. Trata-se de uma mulher de 75 anos, que morreu na sexta-feira, e um homem de 53 anos que apesar de não apresentar comorbidades faleceu no sábado (23). O município já confirmou cinco mortes pela doença. As outras duas mortes registradas pelo órgão de saúde aconteceram também no sábado. As vítimas fatais da infecção são uma mulher de 60 anos, moradora de Açucena, no Vale do Aço, e um homem de 84 anos que vivia em Camanducaia, no Sul de Minas.

Aliás, o município de Camanducaia, a que pertence o distrito de Monte Verde, decidiu ainda nesse domingo (24) suspender as atividades em hotéis, pousadas e similares para evitar a circulação de turistas. A decisão veio depois da cidade permitir, na semana passada, a entrada, circulação e permanência de turistas com hospedagem comprovada. O endurecimento das regras acontece após um aumento no número de casos na cidade, que pulou de 25 em 20 de maio para 40 confirmados segundo balanço mais recente da manhã de ontem. 

Fonte do link

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

6 + 9 =