Coronavírus: Minas Gerais confirma mais mil casos em 24 horas e outras 17 mortes


Um dia após ter alcançado o recorde de maior número de diagnósticos de Covid-19 em apenas 24 horas – 1.071 novos casos entre terça-feira (2) e quarta (3), Minas Gerais voltou a confirmar mais de 1.000 casos da doença de um dia para o outro. Balanço da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) publicado na manhã desta quinta-feira (4) aponta que são mais de 13 mil infectados em Minas Gerais, 1.024 a mais que os 12.010 existentes na véspera.

Este é o segundo maior aumento na quantidade de casos detectado desde o começo da pandemia no mês de março. O número de mortes confirmadas nesta quinta-feira (4) é também o maior na história da doença em Minas Gerais, são 17 a mais que ontem – importante lembrar que entre terça e quarta também foram registradas 17 novos óbitos pela Covid-19. Em apenas 48 horas, 34 mineiros perderam a vida em função de complicações causadas pela infecção.

Dados publicados pela SES-MG apontam que a última semana do mês de maio e esta primeira de junho apresentam alguns dos maiores crescimentos dos índices de óbitos e infectados. Apesar disso, estudos do governo estadual e especialistas da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) apontam que o pico da doença deverá acontecer entre meados do próximo mês e agosto, o que significa que a escalada de casos poderá continuar pelo menos pelos próximos dois meses.

Apenas nos últimos sete dias, contando a partir de 28 de maio, o Estado confirmou a existência de novos 4.348 casos da doença, sendo que 7.105 deles ainda estão sob acompanhamento. Sessenta e oito mortes a mais no mesmo período.

Recorde de mortes

Sete das 17 mortes que apareceram no balanço desta quinta-feira aconteceram na região metropolitana, sendo quatro delas em Belo Horizonte e três em Betim. A capital é o município mineiro que concentra o maior número de infectados – tendo ultrapassado a marca de 2.000 ainda nesta manhã – e a maior quantidade de mortes para a doença, são 55.

Uberlândia, no Triângulo Mineiro, é responsável por três mortes contabilizadas no relatório mais recente. As outras seis mortes aconteceram em Muriaé, Itatiaiuçu, Além Paraíba, Astolfo Dutra, Ipatinga e Três Corações. Há ainda um décimo sétimo óbito que aparece na lista da SES como de pessoa residente em outro estado que não Minas Gerais.

Lentidão no processo

As mortes dos mineiros que aparecem no relatório desta manhã aconteceram entre 1º de maio e 1º de junho. O óbito ocorrido em Astolfo Dutra levou um mês e três dias para ser confirmado pelo órgão estadual. O paciente mais jovem entre aqueles que perderam a vida para a doença era um homem de 45 anos, morador de Muriaé, que morreu na segunda-feira (1º). A pessoa mais idosa é uma senhora de 93 anos que vivia em Três Corações e morreu em 31 de maio. Os moradores de Belo Horizonte que faleceram tinham entre 57 e 74 anos. Em Betim, na região metropolitana, eles tinham entre 52 e 66 anos.

BH ultrapassa marca de 2 mil casos

Belo Horizonte ultrapassou, nesta quinta-feira, a marca de 2.000 infectados pelo coronavírus – eram 1.978 moradores contaminados na quarta-feira. Além disso, o número de mortes na cidade chegou a 55. O futuro do comércio na capital e do processo de retomada econômica é definido justamente pelos índices que definem a situação da pandemia e será definido nesta tarde durante reunião do Comitê de Enfrentamento à Covid-19.

Na noite dessa quarta-feira (3), o prefeito Alexandre Kalil (PSD) rebateu mensagens que circulam nas redes sociais sobre uma suposta reabertura da maior parte das lojas que ainda estão fechadas na cidade. Ele estaria se referindo a um áudio do vereador Léo Burguês (PSL) que declara que a reabertura completa acontecerá até 22 de junho. Kalil classificou a fala como “boataria” e pediu que a população não se iluda.

Interior

Atrás de Belo Horizonte, Uberlândia no Triângulo Mineiro aparece como a cidade que concentra o maior número de diagnósticos em Minas Gerais, são 1.092 casos de coronavírus e 24 mortes causadas pela doença. O terceiro município com maior número de casos é Juiz de Fora, com 641 moradores doentes e 30 mortes em decorrência da Covid-19.

Vinte e uma cidades do estado já ultrapassaram a marca dos 100 casos de coronavírus, são elas: Araxá (141), Barbacena (292), Belo Horizonte (2.089), Betim (160), Contagem (314), Coronel Fabriciano (123), Divinópolis (202), Governador Valadares (222), Ipatinga (334), Itabira (346), Jaboticatubas (102), Juiz de Fora (641), Mariana (295), Muriaé (186), Nova Lima (192), Paracatu (115), Pouso Alegre (119), Teófilo Otoni (312), Uberaba (230), Uberlândia (1.092), Unaí (221).

Outros três municípios podem somar-se à lista nos próximos dias, são Extrema, Patos de Minas e Ribeirão das Neves que, até o momento, tem 99, 91 e 97 casos, respectivamente. O relatório desta quinta-feira aponta ainda que a pandemia já chegou a 470 cidades de Minas Gerais, mais da metade dos 853 municípios existentes no estado. Bem como os casos, as mortes também não estão concentradas em uma única região e há óbitos confirmados em 114 cidades.

Fonte do link

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

4 × cinco =