Coronavírus: medidas de isolamento devem se estender até julho, sinaliza governo


As medidas de isolamento social em Minas Gerais devem ser mantidas até meados do mês de julho, segundo projeção da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG). Em entrevista à rádio Super 91,7 FM, o secretário de Saúde Carlos Eduardo Amaral declarou que apesar do sucesso no achatamento da curva do coronavírus em Minas Gerais, a epidemia deverá se estender até o meio do ano, o que justificará que sejam mantidas algumas das medidas de isolamento, mas não de forma tão enrijecida quanto agora.

“O que nós precisamos é que as pessoas se contaminem devagar. Nós buscamos que seja lenta a contaminação e que as pessoas sejam atendidas. Dessa forma, entendemos que vá durar até junho ou julho algum grau de isolamento, vamos manter por um tempo mais alongado”, esclarece.

A entrada das estações mais frias do ano, outono e inverno entre os meses de março e setembro, preocupa o órgão estadual, uma vez que essas épocas já são conhecidas pela rápida disseminação de doenças respiratórias. As medidas de isolamento adotadas até agora, segundo pontuou o secretário, são uma maneira de garantir que as pessoas não adoeçam todas ao mesmo tempo para que não haja colapso no sistema de saúde.

“O objetivo do isolamento é achatarmos a curva, que as pessoas venham pegando o coronavírus de forma lenta e gradual. É normal que na época do frio as pessoas venham a ter mais contato com esse vírus. O que precisamos é que as pessoas se contaminem devagar. Nós temos um pouco de preocupação caso as pessoas se contaminem juntas, isso sobrecarregaria o serviço de saúde”, explica.

Até o momento, acredita o secretário, as medidas de contenção à pandemia do novo coronavírus têm se mostrado bastante efetivas em Minas Gerais. “Lá no início, em 22 de março quando orientamos o isolamento, tínhamos uma projeção que no início de abril teríamos até 14 mil pessoas infectadas precisando de serviço hospitalar no mesmo dia, isso seria virtualmente impossível. Teríamos muita dificuldade em prestar assistência. Hoje já trabalhamos numa faixa de cinco mil pessoas possíveis de chegar no mesmo dia, com esse volume começamos a ter condição de prestar capacidade assistencial, é possível a rede do Estado absorver”, pontua.

Apesar disso, o sucesso inicial do isolamento social nos municípios de Minas se tornou uma preocupação para a Secretaria de Saúde. O órgão teme que os mineiros comecem a desrespeitar o período de quarentena voluntária, o que poderia elevar consideravelmente o número de casos no Estado. “O fato de termos sucesso nos preocupa ainda mais, se nós temos sucesso, pode ser que as pessoas comecem a sair de casa. O sucesso tem que ser mantido, se não vamos para o insucesso”, alertou o secretário Carlos Eduardo Amaral.

Um mês e seis dias após o aparecimento do primeiro caso de coronavírus em Minas Gerais, o governo estadual já foi notificado de outras 883 pessoas diagnosticadas com a Covid-19. Há registros da presença do vírus em 106 municípios mineiros; cada um com, pelo menos, um caso. Vinte e sete pacientes morreram após serem infectados. Sessenta óbitos são investigados para a doença, e cerca de 64 mil mineiros apresentaram sintomas semelhantes aos do contágio por coronavírus. Esses casos são tratados como suspeitos, pois ainda não há conclusão dos testes feitos a partir das amostras coletadas dessas pessoas.

Fonte do link

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

quatro × cinco =