Coronavírus: Chile entregará cartão de alta sem mencionar imunidade


O Chile confirmou nesta quarta-feira (29) a entrega, a partir da próxima semana, de um cartão de alta para pacientes recuperados de Covid-19, mas recuou da ideia de certificar a imunidade no documento. 

As autoridades da Saúde anunciaram na primeira semana de abril que concederiam esse cartão como salvo-conduto para circulação em áreas com quarentena obrigatória. A entrega foi adiada devido a dúvidas sobre se pacientes curados se tornariam de fato imunes ao coronavírus.

Em 9 de abril, o ministro da Saúde, Jaime Mañalich, anunciou: “O que nos interessa é dizer que essa pessoa não tem possibilidade de pegar o coronavírus novamente, porque já está imune, portanto essa pessoa pode ser de grande ajuda para as comunidades, porque não representam um risco”. 

Mas nesta quarta-feira, ao ratificar a entrega do certificado, Mañalich especificou que, em uma primeira fase, o cartão será apenas um atestado de alta sem manifestar a possibilidade de livre circulação.

Ele esclareceu que o documento não fará referência à imunidade do paciente nem incluirá aqueles que desenvolveram anticorpos para a infecção sem desenvolver sintomas. 

“É um atestado que diz que a pessoa teve alta, sem mencionar a imunidade”, enfatizou o ministro em entrevista coletiva. 

No sábado, a Organização Mundial da Saúde (OMS) alertou que não há evidências de que as pessoas com resultado positivo em testes de diagnóstico estejam imunizadas contra o novo coronavírus. 

Também considerou que os chamados “passaportes de imunidade” poderiam favorecer a disseminação da pandemia. “Não há comprovação de que pessoas curadas de Covid-19 e que tenham anticorpos sejam imunes contra uma segunda infecção”, afirmou a OMS em comunicado. 

Até esta quarta-feira, o Chile registrou 8.057 pacientes recuperados, o equivalente a 53% dos infectados (14.885). 

O cartão de alta será recebido pessoalmente ou por meio de dispositivos móveis. 

As autoridades também anunciaram nesta quarta-feira o primeiro profissional de saúde que morreu em consequência do coronavírus: uma funcionária de um centro de saúde da família em Gorbea, no sul do país.

Fonte do link

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

cinco × 3 =