Conservação ambiental passa por lei rigorosa, investimento social e ruptura histórica



O Brasil, que já teve destaque por políticas de conservação ambiental, poderia estar na dianteira da Década da Restauração de Ecossistemas, uma iniciativa da ONU, com início em 2021, para que os países-membros unam esforços de recuperação das áreas degradadas.

Mas o afrouxamento de políticas ambientais, como a retirada de poder dos órgãos de fiscalização, reduz o protagonismo brasileiro e, pior, faz com que o desmatamento cresça mesmo em áreas nas quais já tinha diminuído.

A análise é da coordenadora do Pacto pela Restauração da Mata Atlântica, Ludmila Pugliese de Siqueira, que participou do seminário Meio Ambiente na última quarta (2).
Leia mais (06/04/2021 – 08h12)

Fonte do link