Como entender e aproveitar as transformações digitais


Fala-se muito sobre as mudanças de hábito e de convivência social pelas quais as pessoas estão sendo submetidas neste novo cenário global. Mas as empresas e marcas também têm muito a aprender e evoluir. Missões, valores e mensagens de compromisso precisam sair do papel e serem convertidas em ações. Processos precisam ser alterados e novas práticas adotadas. A transformação é iminente e requer reações rápidas.

Nestes primeiros meses de uma nova sociedade, temos visto muitas companhias anteciparem e acelerarem processos de digitalização. Medidas que só foram tomadas para evitar prejuízos ainda maiores, e não de forma preventiva, planejada, como deveria ser o ideal. E até quem já estava mais inserido ao mundo conectado precisou se reinventar, preenchendo antigas lacunas com soluções mais práticas.

De repente, um ambiente totalmente digital, que dialogava apenas com quem já estava conectado, se viu diante de milhões de novos usuários, que raramente exploravam conteúdos online e que agora dependem deles, tanto para o lazer e o entretenimento quanto para estudar, trabalhar e consumir. Será preciso entender e aprender a conversar com essa fatia da sociedade, oferecendo plataformas e recursos mais acessíveis.

Mudanças definitivas

O desafio é enorme e essas mudanças não podem ser encaradas como algo pontual. Muitas delas serão definitivas. O crescimento das vendas online escancara essa transformação. É fácil encontrar, diariamente, diversos dados e notícias sobre como esse mercado reagiu rápido para captar as necessidades dos consumidores, entregar facilidades e ter como resultado números recorde de desempenho.

A tendência é que cada vez mais gente se refugie no e-commerce enquanto a rotina que conhecíamos não puder ser retomada. E até quando a normalidade, na medida do possível, for alcançada, alguns novos hábitos já estarão estabelecidos. Priorizar a internet para realizar uma compra vai deixar de ser uma atitude restrita a millennials, a jovens, para se tornar uma mentalidade cada vez mais abrangente, para todas as faixas etárias.

Caberá às empresas encontrar a melhor forma de se adaptar a essa mudança. E o atual momento é o ideal para conseguir se posicionar ao lado do consumidor. É hora de buscar uma sintonia mais real e sincera, que se aproxime de uma figura acolhedora, que oferece benefícios diante das necessidades.

Proximidade

O consumidor quer mais do que uma simples promoção. Ele procura dicas, sugestões, tutoriais, referências… Então, é preciso mapear toda essa demanda antes de criar qualquer ação e, assim, conseguir entregar algo mais assertivo no mercado, que converse com o consumidor, que gere proximidade.

Ainda há tempo de se planejar e mudar, mas é preciso ser rápido, estratégico e empático.

Fonte do link