Chuva em BH causa estragos e comerciantes contabilizam prejuízos

A forte chuva que atingiu a Belo Horizonte na noite dessa segunda-feira (19) causou estragos, e comerciantes que trabalham nas áreas mais afetadas amanheceram contabilizando prejuízos.

Igor da Silva, de 23 anos, é gerente de um posto de combustíveis localizado na avenida Prudente de Morais, na região Centro-Sul de Belo Horizonte, e usou a manhã desta terça-feira (19) para calcular as perdas. 

“A água subiu mais de um metro e muito rápido, infelizmente entrou no espaço de troca de óleo e queimou um maquinário que ainda vou ver se tem conserto. Ainda bem que o led que uso no meu letreiro não queimou, senão o prejuízo ia ultrapassar os R$ 30 mil”, avaliou. 

Já a empresária Maria Carlota, de 37 anos, está cansada de ter que lidar com os estragos da chuva na loja da família. Ela tem um ponto comercial também na avenida Prudente de Morais. O local está repleto de rachaduras e há três anos ela tenta alugar o imóvel, mas sem sucesso.

“A região já está marcada. As pessoas sabem que essa área alaga facilmente com as chuvas. Já tem três anos que tento alugar minha loja, mas ninguém quer. A cada chuva venho para ver qual foi o prejuízo da vez. Com a chuva de ontem (segunda-feira), as rachaduras do meu imóvel aumentaram”, contou a empresária. 

Limpeza das vias após a chuva

A reportagem de O TEMPO percorreu diversos pontos da capital e constatou funcionários da Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) realizando a limpeza das vias. Na avenida Barão Homem de Mello, na região Oeste, equipes retiravam a lama das ruas, vinda de uma obra que está sendo realizada nas proximidades. 

Naa regiões Centro-sul, Nordeste e Norte, equipes realizavam a limpeza de bueiros e a retirada de entulhos.

Chuva afetou hospital em BH

O Hospital Alberto Cavalcanti, no bairro Padre Eustáquio, na região Noroeste, foi impactado pela chuva forte, que causou transtornos. Foram necessárias readequações para o funcionamento do centro de saúde, devido infiltrações em partes isoladas do hospital. 

De acordo com a Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig), o local recebeu reparos e opera normalmente. 

“As áreas do posto de enfermagem e da farmácia, próximas ao local onde foi detectada uma rachadura, foram isoladas preventivamente enquanto a situação está sendo avaliada pelo setor de manutenção, garantindo, assim, a segurança de servidores e pacientes. Por se tratarem de setores de apoio, não haverá necessidade de transferência de pacientes”, informou a Fhemig em nota.

Esta matéria está em atualização.

Fonte do link

Compartilhe:

Comentários